segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Being the #1 is not good enough for us?

Confesso que tinha aquela esperança de chegar hoje à banca dos jornais e ver numa das capas dos diários desportivos (pelo menos nesses) um destaque à prestação da equipa portuguesa no Mundial de Rugby. O que encontrei foram apenas uns destaques ridiculamente pequenos, e se o tamanho é equivalente à importância, concluí que este feito de uma selecção nacional está ao nível da lesão de um defesa esquerdo de futebol. Depois, ainda pensei que ia salvar o dia com a sicnoticias, mas quando foi hora do programa "opinião pública" o tema era a selecção nacional... de Futebol e o seu apuramento.
.
Não quero desvalorizar o trabalho feito pela selecção de Futebol, que originou uma união nacional aquando do Euro ou do Mundial (digna de estudos sociologicos), mas não podem passar indiferentes estes momentos protagonizados pelos "lobos", especialmente quando se diz que há a intenção de educar pelo desporto e de promover o Fairplay e a ética desportiva.
.
Ver um estádio a aplaudir a entrada em campo dos nossos jogadores... ouvir um hino cantado de forma emotiva... assistir a um jogo de equipa, no verdadeiro sentido da palavra... o respeito pela equipa de árbitros e aceitar a anulação de ensaio por fora de jogo sem se fazer uma "novela mexicana" (ok, depois mais tarde o Juan Muré deu um soco a um adversário... oooooooops) ... ouvir o apito final e ver a equipa sair da cabeça erguida e mais uma vez aplaudida pelo estádio... o anúncio do melhor jogador em campo para o nosso "amador" nº 7 - Vasco Uva (ao que ele posteriormente comentou, e na sua opinião, que tal prémio não seria pela sua exibição individual, mas sim da equipa...sempre a valorização do trabalho em equipa! :)
.
.
.
Bem sei como se regem as regras de marketing, que leva a que as notícias sirvam mais para propósitos de share e nem sempre de utilidade. E sim, também conheço a teoria dos media manipularem e decidirem sobre o que é "importante" nós termos conhecimento ou não. E ainda aquela de isto tudo ser suportado por grandes empresas que à troca de patrocínio (mais ou menos claros e visíveis) pretendem grandes retornos de lucros e favores.
.
Ok, mas deixem-me ter uma "imaginação fértil" e desejar que alguém que ocupa os altos quadros administrativos tome a audaz decisão de utilizar um serviço noticioso para serviço público, que tome a iniciativa e cative os espectadores/leitores para terem uma cultura geral nas várias áreas e sobre várias temáticas, que fomente um conhecimento abrangente, eclético, multicultural. Dizem-me "mas o público nao se interessa nem percebe de outras modalidades, só de futebol" e eu compreendo que tal aconteça porque lhes é oferecido isto!
.
Já que conhecem imensas estratégias de marketing e sabem como a Tv é um veiculo de propagação eficaz de informação, usem-nas para EDUCAR! Sim, para educar!!!! Não se espantem ao contatar que o ensino não se restringe às salas de aulas frias das nossas escolas (que a cada ano lectivo fecham às dezenas, e a este ritmo vamos ter que começar a pensar em alternativas), que o ensino é um processo de troca de informações e que pode assumir diferentes formas.
.
No dia que isso acontecer os destaques principais dos jornais e telejornais serão sobre as vitórias da selecção de basquetebol no Campeonato Europeu... ou sobre a conquista da Medalha de Ouro no Triplo Salto pelo Nélson Évora, no Campeonato do Mundo...ou a consagração da Vanessa Fernandes como a Campeã do Mundo de Triatlo Elite Feminina.
.
Mas sou optimista... sei que algumas mudanças já estão a acontecer... dou por mim é a ser impaciente com a demora... ;)

ps: Sábado à hora do almoço, temos o jogo de Portugal contra os All Blacks da Nova Zelandia. Será no mínimo um jogo HISTORICO!!!

2 comentários:

kelinha disse...

Apenas quero deixar um grande bem haja para aquele senhor treinador... que so eu e tu fialhito sabemos como era maravilhoso ter aulas com ele lolol

mafalda disse...

Pois parece que neste pais ninguem da valor ao que realmente merece ser valorizado,, que se ha'd fazer?!?