terça-feira, 23 de outubro de 2007

Serão os maus resultados nas escolas públicas uma penitência por terem tirado os crucifixos da sala de aula?

Lol.....antes de mais, que fique esclarecido que o titulo dest post é somente um teaser... que eu cá não ando a fazer propagando pró- ou contra movimentos religiosos...
.
Não sou apologista de rankings... pelo menos destes, que considero que não são uma boa montra das práticas e (in)sucessos do nosso sistema escolar. No entanto, esta análise não me pode passar indiferente... e até fico surpreendida com umas quantas constatações.
Aqui fica o texto sobre os Exames Nacionais, em que o ranking é liderado por escolas privadas e católicas.
.
.
.
"As cinco escolas privadas que alcançaram a média mais alta na primeira fase dos exames nacionais do ensino secundário são todas católicas, três delas ligadas à Opus Dei.
.
O colégio Mira Rio, em Lisboa, que este ano ocupa a primeira posição na lista de escolas com melhor média é frequentado apenas por raparigas, cada uma acompanhada individualmente por uma preceptora, sendo a disciplina de Religião e Moral obrigatória desde o pré-escolar até ao 12º ano. Em declarações à Lusa, Clara Ledo, directora do colégio, não tem dúvidas em afirmar que o programa de ensino e as actividades extracurriculares são tão importantes como "a formação espiritual e religiosa das alunas". No entanto, a frequência desta escola, com quase 30 anos de experiência, só parece ser acessível às bolsas mais recheadas, já que são cobrados cerca de 4.500 euros por ano, o que dá um total de mais de 13 mil euros, no conjunto do secundário.
.
A filosofia de ensino, assente nos valores cristãos, domina igualmente nos colégios Cedros e Horizonte, ambos no distrito do Porto, escolas privadas que obtiveram, respectivamente, a segunda e a terceira média mais alta na primeira fase dos exames nacionais. Além de estarem todos no pódio, os três colégios têm em comum o facto de integrarem a cooperativa de ensino Fomento, gerida pela Opus Dei. A separação de sexos é praticada nas três instituições, sendo o colégio Cedros apenas dirigido a rapazes e os outros dois exclusivamente destinados a raparigas.
.
Na lista das melhores prestações nas provas deste ano, o colégio São João de Brito, em Lisboa, surge na quarta posição, com uma média de 14,04 valores, uma escola pertencente à Companhia de Jesus com 60 anos de existência que há pelo menos quatro marca presença entre as cinco com melhores médias. Segundo o padre Amadeu Pinto, director da instituição, "as escolas confessionais são entidades com valores e alma que zelam por manter elevados os padrões de qualidade do ensino". Porém, também aqui a frequência do ensino diurno não está ao alcance de todas as famílias. No secundário, a propina mensal ultrapassa os 400 euros, um valor que não inclui a alimentação nem várias actividades. Ainda assim, a fama do colégio, favorecida pelos bons desempenhos dos estudantes nos exames, gera anualmente grandes listas de espera e há até pais que inscrevem bebés mal acabam de nascer.
.
Bem reputado é igualmente o Colégio Manuel Bernardes, em Lisboa, que este ano surge na quinta posição, com uma média de 13,89 valores. Com um projecto educativo baseado nos princípios cristãos defendidos pela Igreja Católica, também nesta escola nenhum aluno pode ser dispensado da frequência às aulas da disciplina de Educação Moral e Religiosa." Disse à Lusa o director do colégio, Hugo Quinta: "Valores cristãos como solidariedade, fraternidade, espírito de entreajuda, esforço e sacrifício são muito importantes para a educação e reflectem comportamentos e atitudes que se traduzem em bons resultados escolares".

1 comentário:

Pedro Mafra disse...

Pode se afirmar q deus dá boas notas a quem na terra mensalmente contribui com bons cheques... Um Porreiraço!!!